O Roteiro Realizado

Eu nunca havia ficado mais do que 5 ou 6 dias fora de casa. Foi ilusão achar que ‘aguentaria’ mais de 30 dias :-)

Mesmo assim, fiz uma viagem muito legal… meu objetivo principal era ir até “o fim do mundo” e também conhecer o Glacial Perito Moreno. Cumpri esse objetivo e ainda tive alguns ‘bônus’.

Veja abaixo como ficou o meu roteiro final – se você clicar no mapinha, abre um mapão :-) :

  • 1º Dia, Pato Branco -> Resistência
    ( concluído / +- 770 Km)
  • 2º Dia, Resistência -> Buenos Aires
    (passando por Santa Fé e Paraná, concluído / +- 1.060 Km)
  • 3º Dia, Buenos Aires -> Mar Del Plata
    (concluído / +- 410 Km)
  • 4º Dia, Mar Del Plata -> Viedma
    (passando por Bahia Blanca, concluído / +- 750 Km)
  • 5º Dia, Viedma -> Puerto Pirâmides
    (passando por Puerto Madryn, concluído / +- 580 Km)
  • 6º Dia, Puerto Piramide -> Trelew
    (percorrendo toda Península Valdez, concluído / +- 450 Km)
  • 7º Dia, Trelew -> Puerto San Julian
    (passando por Comodoro Rivadavia, concluído / +- 790 Km)
  • 8º Dia, Puerto San Julian -> Rio Grande
    (concluído / +- 730 Km)
  • 9º Dia, Rio Grande -> Ushuaia
    (chegando em Ushuaia cedo, concluído / +- 230 km)
  • 10º Dia, Ushuaia
    (passeio no Trem del Fin del Mundo e no Canal Beagle, concluído)
     
  • 11º Dia, Ushuaia
    (chuva e muita neve, Museu Marítimo e do Presídio e Museu do Fim do Mundo, concluído)
     
  • 12º Dia, Ushuaia -> Rio Gallegos
    (concluído / +- 580 Km)
  • 13º Dia, Rio Gallegos -> El Calafate
    (indo até o Glacial Perito Moreno, concluído / +- 400 Km)
  • 14º Dia, El Calafate
    (passeio de Barco “Todos Los Glaciares)
     
  • 15º Dia, El Calafate -> Comodoro Rivadavia
    (concluído / +- 1.100 Km)
  • 16º Dia, Comodoro Rivadavia -> San Antonio Oeste
    (concluído / +- 750 Km)
  • 17º Dia, San Antonio Oeste -> Santa Fé
    (passando por Córdoba, concluído / +- 1.500 Km)
  • 18º Dia, Santa Fé -> Pato Branco
    (“preso” em Resistência por mais de 14 horas :-) , concluído / +- 1.300 Km)
Postado por guiadevoo

18o Dia

17o Dia : San Antonio Oeste -> Santa Fé
22 de Maio de 2008

Saio cedo do hotel, ainda escuro. Mas nada de gelo ou neve na pista. Oba !!! :-)

Consigo andar bem, as retas são grandes. Nada de novidade. Passo por Córdoba e sigo até Santa Fé.

Como é bom ver o dia amanhecer cedo, ver o sol… que saudades :-)

Venço os 1.500 Km que me separam de Santa Fé.

Aqui já anoitece mais tarde, então pude andar um pouco mais. Nenhum imprevisto na estrada. Tudo tranquilo.

Em Santa Fé encontro um bom hotel por 115 pesos.

Janto no restaurante do hotel, que a princípio me parecia pequeno, mas era grande e tradicional.

Como um ‘surubi ao rockford’ excelente. Acho que o melhor peixe – tirando salmão – que já comi até hoje.

Falo com a família… a esposa está contente por eu estar voltando para casa. Brinco que quando chegar vou cantar “eu cheguei em frente ao portão… meu cachorro me sorriu latindo… eu voltei” :-)

PS : Temos 2 pastores alemão :-)

Agora ‘apenas’ 1.300 Km me separam de casa. Estou ‘ansioso’ para chegar assim como estava ansioso para conhecer Ushuaia :-)

Amanhã meu objetivo é sair cedo para chegar em casa ali pelas 18 ou 19 horas. Acho que é possível.

Vou dormir… ah, lá para o sul era normal pedir “habitacion con calefacion?”. Aqui tem que pedir se tem “aire condicionado” pois agora, à noite, está em torno de 28 graus. É mole ?!?!?! :-)

Até amanhã !!!

Fotos :

Clique aqui para ver as (poucas) fotos desse dia.

Postado por guiadevoo

O Resumo

Foram 18 dias e “meio” fora de casa. Mais de 11.600 Km percorridos. Mais de 130 horas dirigindo.

Conheci muitos locais, vi muitas paisagens, conheci pessoas diferentes, enfim, conheci !

Uma das coisas que mudou em mim foi meu pensamento em relação aos nossos vizinhos Argentinos. Achei que teria problemas por lá. Que bom ter me enganado. Fui muito bem tratado em todas as situações.

Encontrei pessoas gentis, amáveis e sempre dispostas a ajudar. A Argentina passa por um momento delicado (maio/2008) em sua história, mas os Argentinos me deram um show de hospitalidade, respeito, honestidade, gentileza.

Lí em algum lugar que nós (a maioria de nós, claro) temos um preconceito contra os Argentinos porque ‘trazemos’ para nossas relações pessoais a ‘rixa/disputa’ que há em nosso futebol. Mas eles, os Argentinos, não trazem isso não.

Hoje a Argentina é um excelente destino para nós, brasileiros. Nossa moeda está forte, a Argentina possui lugares de rara beleza, e agora a polícia “Gendarmeria Nacional” está cuidando das estradas, então, podemos ir de carro sem termos nenhum problema – claro, com toda a documentação em ordem :-)

Parabéns aos Argentinos !!! Com certeza voltarei. Mar del Plata, Península Valdez, Ushuaia, El Calafate, Puerto San Julian, Córdoba e outros são locais que eu voltaria com certeza.

Até então, eu admirava muito o povo Uruguaio… agora, o povo Argentino conta também com minha admiração e meu respeito.

Muito obrigado Argentina, muito obrigado Argentinos. Vocês foram nota 10 em toda a minha viagem, toda, sem exceção nenhuma.

E aos novos amigos, um grande abraço. Nos vemos na próxima !!! :-)

Postado por guiadevoo

15o Dia

15o Dia

15o Dia : El Calafate -> Comodoro Rivadavia
20 de Maio de 2008

São quase 9 horas da manhã quando saio do Hotel Edênia em El Calafate. Prometi para mim mesmo que um dia volto, levando minha esposa junto :-) o Hotel Edênia é muito bom, muito bom mesmo.

Meu destino é Comodoro Rivadavia, cerca de 1.100 Km de distância. Espero não pegar muita neve no caminho, mas depois vejo que minha esperança é vã :-)

A princípio penso que não filmarei muita coisa, mas durante o percurso pego muita neve, muita neve mesmo. A paisagem fica muito bonita ‘acompanhada’ de neve :-)

Mas a estrada também fica perigosa por causa do gelo na pista. Cautela é o nome do jogo !

Tudo corre normal… exceto por eu não ter dado ouvidos aos conselhos que recebi. Todos com quem falei, me disseram que em Comodoro Rivadavia os hotéis são muito caros. Mas eu imaginei “ah, caro são todos os hotéis que eu ví até agora”. Mas eu estava enganado.

Cheguei em Comodoro Rivadavia a noitinha e fui procurar hotel. Puxa, comentei com a Mari (minha amana esposa) que o maior ‘stress’ da viagem é achar hotel. Ou melhor, achar a melhor equação ‘custo-benefício’ para um hotel.

Realmente aqui em Comodoro os hotéis são caros pra caramba… os hotéis melhores ou estão lotados ou tem preços como “490 pesos” para uma noite. Absurdo !

Hotéis (se é que podem ser chamados assim) simples, muito simples, por 200 pesos. Saber que paguei 230 pesos em um excelente hotel em Trelew, ou mesmo no Edênia, paguei 80 dólares cada diária.

Mas aqui é assim… caro e tudo lotado. A cidade é um pólo petrolífero, e as companhias de petróleo ‘lotam’ os melhores hotéis. O que sobra cobra o que quiser.

Fui em 5 hotéis e todos lotados. Ligamos, do estacionamento, para mais 2. Lotados !

Até que, tarde da noite, achei uma ‘hospedage’ por 120 pesos (arghhhhhhh). Pense numa ‘hospedage’, mas era até limpa e talz…

Hoje tomei uma decisão : vou ‘encurtar’ minha viagem. A saudades da família, principalmente da esposa :-) é muito grande, mas grande mesmo hehehehehe

Então, como eu não tenho obrigação nenhuma, e como sou livre para decidir o que fazer, optei por deixar a ‘outra parte’ da viagem para uma próxima vez. Sei que estou ‘do lado’ de Bariloche, mas se optasse por ir a Bariloche gastaria pelo menos uns 5 dias a mais.

Decido então voltar para casa amanhã… começar a voltar, pois estou há cerca de 3.300 Km de casa.

Faço isso por opção própria, por decisão minha. Fico ‘com crédito’ para uma próxima aventura :-) quem sabe “De KIA até o Chile” :-)

Brinquei com minha esposa dizendo “a emoção venceu a razão”, pois se eu for seguir minha razão, aproveito e vou para Bariloche e Mendoza. Mas prefiro seguir meu coração e ir para casa. Hoje são 15 dias fora, e segundo meus cálculos, levarei mais uns 3 ou 4 dias para chegar em casa.

Para quem nunca tinha ficado mais do que 5 ou 6 dias fora, está de bom tamanho :-)

É isso… amanhã começo a voltar para casa. Digo que a viagem valeu muito a pena… cada paisagem, cada local que conheci, cada visual. Valeu cada centavo investido :-)

De amanhã em diante os relatos/fotos serão pequenos (se é que existirão). Minha previsão é fazer uns 1.000 Km por dia, mas vamos ver como será amanhã pela manhã pois hoje ví muita neve.

Estou realizado !!! :-) E o restante do trajeto vou deixar para fazer numa próxima vez. Já tenho idéia do roteiro, mas nem vou comentar para não ser ‘censurado’ pela esposa :-)

Fique comigo… vamos ver como serão meus últimos dias na Argentina !

Fotos :

Clique aqui para ver as fotos desse dia.

Video(s) :
Parte 1 :

Parte 2 :

Postado por guiadevoo

18 Dia

18o Dia : Santa Fé -> Pato Branco
23 de Maio de 2008

De Santa Fé até Pato Branco, pela “Ruta 14″ são apenas 1.150 Km. Mas eu estava ‘traumatizado’ com a “Ruta 14″ da viagem anterior que tinha feito para o Uruguai/Argentina. Foi nessa “ruta”, na minha viagem anterior, que ví a polícia mais corrupta da Argentina.

Dessa vez, não havia tido nenhum problema com a polícia. Como já disse – ou escrevi, não lembro :-) – a polícia da Argentina agora era somente a ‘Gendarmeria Nacional’ e eles tinham sido nota 10 comigo até hoje. Foram mais de 7 ou 8 ‘paradas’ pela polícia e em nenhuma – eu disse nenhuma – vez eles tentaram complicar ou me extorquir. Parabéns novamente à Polícia Argentina.

Bom, mas em função do ‘trauma’ da viagem anterior, e em função de conhecer a o outro caminho, optei por escolher ir à Pato Branco passando por Resistência/Corrientes, indo até Posadas e então chegando em casa. Faria uns 200 Km a mais, mas pela estrada e por já conhecer, achei que valia a pena.

Ledo engano. Sabe aquelas decisões que você toma e depois, digamos, se arrepende ? :-) Pois é… essa foi uma delas.

Saí de Santa Fé cedo, por volta das 5:00 da manhã. Teria 1.300 Km pela frente e esperava chegar em casa até as 18 ou 19 horas (de hoje, 6a feira, 23 de Maio)

Eu já havia pego, até então, ‘reclamos (protestos)’ de agricultores – vários, porém nenhum ‘trancando’ a estrada, tinha pego de taxistas e remisseiros – perdi 4 horas em Comodoro Rivadavia aguardando abrirem a estrada e tinha pego de petroleiros, porém nesse tive sorte e cheguei quando eles tinham aberto a estrada.

Mas o pior ainda estava por vir. No pedágio entre Santa Fé e Resistência vejo um aviso colado no ‘caixa’ : “Corte total da Ponte Belgrano”

Peço para a atendente e ela me explica que não sabia como estava, mas que eles (???) estavam segurando por um período e liberando por um período (ela me falou em 1 hora). Pensei “Bom, quando eu chegar lá eles liberam :-)

Ainda no caminho fui parado novamente pela Gendarmeria, olham documentos e me pedem onde vou. Digo que vou para o Brasil. O policial dá uma risadinha e diz “Não tem como ir, a ponte está fechada”. Pergunto o porquê, ele me diz “reclamo/paro”. Eu digo “De agricultores ???” e ele “Não, da polícia”. Polícia !??!!?!?! Mas como ? Ele só rí e não sabe me responder. Me explica que os policiais da província (estado) de Corrientes (divisa com Resistência) reinvidicavam melhores salários e que haviam fechado a ponte desde as 7:00hs da manhã. Eram por volta de 10:20hs

Eu tinha, naquela hora, a opção de voltar cerca de 450 Km e ir por Santa Fé pegando a “Ruta 14″, mas pensei “Eles vão abrir essa ponte logo”

Ledo engano novamente :-) Cheguei em Resistência as 11:00hs da manhã… a história toda daria um relato a mais, mas enfim, por volta de 2:30hs da madrugada eles liberaram a ponte. Eu fiquei lá, num posto de combustível bem próximo a ponte, esperando.

Lá o calor chegou a 35 graus com o carro na sombra… é mole ?!?!?! De -9 para 35 é uma senhora diferença :-)

Foram mais de 14 horas esperando. Eu ia no posto, tomava alguma coisa, voltava pro carro, saia caminhar, enfim, matava o tempo como podia.

Lá conhecí 2 “gestores de unidades autonômas” (também conhecidos como caminhoneiros :-) ), o Daniel e o Alessandro, ambos de Curitiba. Foi legal porque fizemos amizades e juntos matamos o tempo. Eles trabalham para a ALL e viajam seguidamente para a Argentina. Demos muita risada juntos e matamos o tempo mais fácil.

Às 2:30hs quando abriu a ponte, ‘toquei’ direto para casa. 5:00hs da manhã fui vencido pelo sono – eu não havia dormido – e encostei num posto fiscal para tirar um cochilo de 45 minutos.

Muita chuva… chovia mas não tinha neve hehehehe. Quando o dia clareou foi mais fácil dirigir. Passei Posadas e rumei para Eldorado depois Bernardo Irigoyen.

Cheguei na fronteira por volta das 11:00hs. Trâmites feitos e estou no Brasil novamente.

Ligo para a esposa pela primeira vez em 18 dias e “meio” :-) Chegaria para o almoço em casa. Dito e feito, 12:30hs estava chegando.

Os cachorros latiram, mas não sei se sorriram (eles ficam num canil longe do portão :-) )

Eu chego em casa cansado, com sono, muito sono, muito cansado, mas muito, muito feliz !!! Realizei um sonho de longa data, fiz 11.600 Km e tudo na mais perfeita ordem. Enfim, uma viagem abençoada !

Agora vem o pior : desfazer as malas e organizar a bagunça. Mas eu gosto… minha cabeça fervilha com os locais que conheci, e esse blog vai ajudar a perpetuar minhas lembranças.

*Update : Hoje é 5a feira, 29 de Maio de 2008. Estou terminando de fazer upload nos vídeos. Ainda me emociono com algumas imagens e lembranças, e fico pensando “quando será a próxima ???” :-)

Eu aproveitei… era o fim do mundo mesmo !!!

Fotos :

Clique aqui para ver as (poucas) fotos desse dia.

Postado por guiadevoo

17o Dia

17o Dia : San Antonio Oeste -> Santa Fé
22 de Maio de 2008

Saio cedo do hotel, ainda escuro. Mas nada de gelo ou neve na pista. Oba !!! :-)

Consigo andar bem, as retas são grandes. Nada de novidade. Passo por Córdoba e sigo até Santa Fé.

Como é bom ver o dia amanhecer cedo, ver o sol… que saudades :-)

Venço os 1.500 Km que me separam de Santa Fé.

Aqui já anoitece mais tarde, então pude andar um pouco mais. Nenhum imprevisto na estrada. Tudo tranquilo.

Em Santa Fé encontro um bom hotel por 115 pesos.

Janto no restaurante do hotel, que a princípio me parecia pequeno, mas era grande e tradicional.

Como um ‘surubi ao rockford’ excelente. Acho que o melhor peixe – tirando salmão – que já comi até hoje.

Falo com a família… a esposa está contente por eu estar voltando para casa. Brinco que quando chegar vou cantar “eu cheguei em frente ao portão… meu cachorro me sorriu latindo… eu voltei” :-)

PS : Temos 2 pastores alemão :-)

Agora ‘apenas’ 1.300 Km me separam de casa. Estou ‘ansioso’ para chegar assim como estava ansioso para conhecer Ushuaia :-)

Amanhã meu objetivo é sair cedo para chegar em casa ali pelas 18 ou 19 horas. Acho que é possível.

Vou dormir… ah, lá para o sul era normal pedir “habitacion con calefacion?”. Aqui tem que pedir se tem “aire condicionado” pois agora, à noite, está em torno de 28 graus. É mole ?!?!?! :-)

Até amanhã !!!

Fotos :

Clique aqui para ver as (poucas) fotos desse dia.

Postado por guiadevoo

16o Dia

16o Dia : Comodoro Rivadavia -> San Antonio Oeste
21 de Maio de 2008

Durmo bem na ‘hospedage’ da noite anterior. Acordo e vou para a saída da cidade com idéia de ir até Trelew.

Chego às 8:10hs na saída da cidade. Estrada trancada por causa da neve. Previsão de abertura : 10:00hs.

Espero até 11:15hs quando a estrada abre. Sigo viagem. Tiro algumas poucas fotos para ‘registrar’ a volta. Sem vídeos.

Chego em San Antonio Oeste (assim, sem o “de” mesmo) a noitinha. Faço apenas 700 Km pois saí tarde e peguei muita neve na estrada e também muito movimento.

A cidade é pequena, na beira da rodovia. Acho um hotel, faço um lanche e me preparo para o próximo dia.

Pergunto se dalí até Córdoba terei problema com gelo/neve. Me avisam que não. Suspiro aliviado. Já não aguentava mais andar no gelo/neve.

Vou dormir. Hotel simples porém barato (70 pesos). Não conto com café da manhã pois quero sair cedo. Meu objetivo amanhã é chegar em Santa Fé, cerca de 1.500 Km daqui. Sei que se sair cedo e não tiver gelo/neve, posso fazer tranquilamente.

Vamos ver como será o dia de amanhã !

Eu fui, de KIA até o fim do mundo, e agora estou voltando :-)

Fotos :

Clique aqui para ver as (poucas) fotos desse dia.

Vídeo da ‘decisão’ :-)

Postado por guiadevoo

8o Dia

8o Dia : Puerto San Julian -> Rio Grande
13 de Maio de 2008

Novamente acordei cedo – parece coisa de velho né ? :-)

Arrumei minhas coisas e fui para o café do hotel – lembrem-se : o hotel era bom. Mas graças à Deus o café também era bom para os padrões Argentinos. Tinha ‘média-lunas’, então, para mim, basta umas 6 média-lunas que me contento heheheh

Saí de Puerto San Julian por volta das 7:00hs, com vontade de voltar àquela cidade em outra época para conhecê-la melhor.

O ruim é que minha gripe/dor de garganta havia piorado, e bastante. Também, você entra em um estabelecimento (hotel, restaurante, seja o que for) e a calefação está a toda, quente pra caramba, é preciso que você tire o casaco. Logo depois, quando você vai sair, o frio está de rachar. Quem não está acostumado – como  eu – pega um resfriado logo, logo (ou ‘resfrio’ como eles dizem por aqui)

Meu objetivo era tentar ir até Ushuaia… mas eu sabia que seria difícil em função de ter que passar por 4 aduanas/fronteiras (você saí da Argentina, entra no Chile, saí do Chile e entra novamente na Argentina) então pensava em chegar pelo menos em Punta Delgada, cerca de 460 Km de Puerto San Julian.

De Puerto San Julian até Rio Gallegos a paisagem era muito bonita. E o frio também. `

Amanheceu por volta de 8:40hs da manhã com temperatura de 0 grau. No caminho a temperatura tinha baixado para 1 grau e ficou assim um tempo… depois baixou para 0 grau, era a segunda vez na viagem que eu tinha pego uma temperatura tão baixa.

Mas não ficou por isso não… logo depois, às 8:41hs, baixou para -1, puxa, eu não lembro de ter pego -1 andando… mas tinha mais, logo depois, às 8:55hs já estava -2 e ainda tinha mais. :-)

Às 9:35hs a temperatura havia caído para -3 graus. 9:40hs e a temperatua tinha baixado para -4 graus. Era muito frio. Dentro do carro tudo bem, aquecimento ligado, mas lá fora brrrhhhhh

Depois disso a temperatura começou a subir lentamente estabelecendo em torno de 1 a 2 graus.

Cheguei em Rio Gallegos e lá estava frio demais. A temperatura era em torno de 1 a 2 graus, mas o vento era cortante, gelado demais. Queria ter uma idéia de qual era a sensação térmica. Ainda me faltavam cerca de 580 km até Ushuaia, e eu já tinha certeza que não conseguiria chegar lá hoje.

Na saída, peguei novamente um protesto dos ‘petroleiros’. Mas bem quando eu estava chegando eles estavam liberando os carros de passeio. Ufa, que alívio.

Nessas alturas eu já tinha quase decidido parar para dormir em Rio Grande, distante uns 230 Km de Ushuaia pois não queria viajar a noite, e como aqui está escurecendo por volta das 17:30hs-18:00hs, não podia andar muito.

Cheguei na fronteira da Argentina com o Chile e a temperatura estava novamente à -2 graus, mas o vento… caramba…pense num vento frio :-)

Na aduana Argentina tudo tranquilo e rápido. Quando cheguei à aduana chilena demorou um pouco, porém foram bem atenciosos comigo (tiveram paciência) e resolvi tudo rapidamente.

Era cedo quando saí da fronteira com o Chile. Imaginei que conseguiria chegar à Ushuaia. Porém, quando cheguei na Balsa de Punta Delgada, conversei com um senhor que morou em Rio Grande e que conhecia Ushuaia. Perguntei para ele se ele achava que eu poderia chegar até Ushuaia de dia ainda. Ele achou que talvez sim, um pouco de tardezinha.

Porém ele me aconselhou a dormir em Rio Grande e esperar para ir no outro dia, quando tivesse claro, pois segundo ele, as paisagens de Rio Grande até Ushuaia são muito bonitas.

Esperei um bocado de tempo, acho que 1 hora, até fazer a travessia pela balsa e passar o Estreito de Magalhães. Passado para o outro lado, peguei mais uns 30-40 Km de asfalto (acho que foi isso) e depois mais uns 140 Km de ripio. Novamente fronteira do Chile (para sair) e fronteira da Argentina (para entrar). Tudo normal e mais rápido que anteriormente.

Nos 140 Km de ripio bastante animais, bastante aves. Algumas paisagens bonitas. Andando com cuidado, e principalmente, diminuindo a velocidade quando cruzava com outros veículos para as pedras não voarem até o vidro/faróis.

Em Rio Grande bateu um arrependimento de não ter ido até Uhsuaia. Explico : cheguei em Rio Grande por volta das 17:20hs. Seriam mais 230 Km até Ushuaia. Agora, pense numa cidade que não tem hotéis. Tem, mas poucos. Os dois bons estavam lotados. Havia um ‘médio’ que estava lotado também.

Sobrava um velho, feio, e muuuito caro ( 230 pesos ), e um outro mais velho, mais feio, mais sujo por 160 pesos. Caramba, em Puerto San Julian eu havia pago 155 pesos por um excelente hotel.

Andei um bocado e encontrei um ‘hostel’, tipo albergue, quarto pequeno, barulhento, por 130 pesos. Dizem que aqui em Rio Grande, por ter poucos hoteis, eles são caros mesmo.

Como era apenas para dormir, encarei esse hostel mesmo. Saí para comer um lanche (estava cansado, com gripe, dor de garganta) e queria era voltar para o ‘hostel’ e colocar minhas coisas em ordem (fotos, vídeo, relato, etc)

Amanhã nem vou esperar um bom café da manhã… acho que vai ser no máximo torradas com manteiga. Mas vou esperar clarear o dia e vou rumo à Ushuaia.

Minha aventura começa amanhã :-)

Fotos :

Clique aqui para ver as fotos desse dia.

Video(s) :
Parte 1 :

Parte 2 :

Parte 3 :

Postado por guiadevoo

10o Dia

10o Dia : Ushuaia
15 de Maio de 2008

Nao dormi muito bem na minha primeira noite em Ushuaia. Apesar do quarto ser muito bom, é perto da recepção, e como chegam ‘pasajeros’ a toda hora o barulho me incomodou um pouco. Além de tudo, eu estava de certa forma ansioso pelo que viria hoje.

Vou cedo tomar café. Não tem média-lunas :-( apenas pão com dulce de leche ou geléia e alguns cereais. Como é estilo albergue (apesar de eu estar pagando ‘estilo’ um bom hotel), o café é meio “cada um se arruma o seu”.

Porém o atendimento é muito legal… pessoas jovens, sempre sorrindo, prontos a lhe dar uma informação.

Durante a madrugada notei uma ‘chuva’ forte, com ventos. Quando fui tomar café, pedi ao atendente se chovia. Ele falou “não, é neve, muita neve”.

Não deu nem tempo de ele terminar a frase e corri pro quarto pegar a máquina fotográfica e a filmadora. Minha primeira manhã aqui em Ushuaia e neva. Subi a rampa do hotel e cheguei na Carnival (que havia ficado na rua, pois aqui em Ushuaia não existe problema com segurança, segundo todos falam).

Eram 8:30hs da manhã quando encontro a Carnival com uns 5 cm de gelo em toda ela. Que visão linda. Claro que tiro fotos, filmo e tudo mais que tenho direito :-) e ainda estava nevando um pouco forte.

Depois mais tarde fui saber que era a primeira nevasca do ano, e uma nevasca meio forte.

Meu dia estava apenas para começar. Quando saí do hotel em direção ao “Trem do Fim do Mundo” ví toda a cidade coberta de neve. Tudo, onde você olhava, havia neve. Parei em alguns locais para tirar fotos, filmar, e principalmente admirar a paisagem.

Sugiro que você veja o vídeo de hoje (é longo :-) ) e as fotos. Descrever tudo o que eu fiz hoje daria um capítulo de um livro :-)

Basicamente andei no Trem do Fim do Mundo, ví paisagens incríveis, lindas, maravilhosas. Depois, correndo, voltei para a cidade e fui embarcar no Passeio pelo Canal de Beagle. Visitamos a Isla de Los Lobos, a Isla dos Passaros, o Farol e fizemos um pequeno tracking numa ilha onde era frio pra caramba.

Hoje ví neve pelo resto da minha vida :-) Ví coisas que jamais havia pensado que iria ver. No meu coração só há gratidão por tudo o que ví até hoje. 10 dias fora de casa, a saudades da esposa e dos filhos é muito grande. Minha vontade é voltar correndo para eles. Ter uma família é algo maravilhoso, é um lugar de refúgio, seguro, é um abrigo. Minha família é tudo isso e muito mais (ok, você pode estar achando esse papo muito sentimental, mas é isso que eu sinto :-) )

Depois do passeio pelo Canal Beagle, que foi maravilhoso, aproveitei caminhar pela cidade para comprar mais algumas lembranças para o pessoal. Aqui há muuuitas lojas de ‘recuerdos’, porém achei os preços meio caros. Mas vir para Ushuaia e não levar ‘lembrancinhas’ seria o cúmulo :-)

Volto para o hotel cansado, mas feliz e realizado. Tomo um banho e peço indicação de um bom restaurando. Janto muito bem e volto ao hotel. Amanhã minha previsão é passear no Glaciar Martial e conhecer o Cerro Castor. Penso que sábado pelo meio-dia vou embora rumo a Punta Arenas, no Chile.

Vamos ver o que me espera amanhã :-)

Fotos :

Clique aqui para ver as fotos desse dia.

Video(s) :
Parte 1 :

Parte 2 :

Parte 3 :

Parte 4 :

Postado por guiadevoo

12o Dia

12o Dia : Ushuaia -> Rio Gallegos
17 de Maio de 2008

Acordo cedo para os padrões de Ushuaia, tomo café, arrumo minhas coisas no carro e saio por volta de 8:00hs. Nessa noite não nevou tanto, então as ruas estavam mais limpas.

Ao sair de Ushuaia já vejo, no posto policial, a placa indicando que é obrigatório o uso de ‘cadenas’. Converso com o guarda até onde ele acha que eu devo ir com as ‘cadenas (correntes)’. Ele acha que até Rio Grande, cerca de 230 Km de Ushuaia.

Na neve, cautela e caldo de galinha, ops, caldo de galinha não dá pois você está dirigindo. Então somente cautela, muita cautela. Se seu carro tiver ABS, ótimo… se não tiver, cuide ao frear, pois se travar os pneus você sai da pista e vai sabe-se lá para onde. :-)

Quando falava para o pessoal (hotel, loja, guarda) que iria a Punta Arenas, todos me alertaram quanto ao ‘Paso de Garibaldi’. É um local na cordilheira onde há montanha de um lado e precipício de outro, quase sem proteção. E quando neva, acumula muita neve ali por causa das montanhas. Medo é para os fracos :-)

Saio em direção à estrada. Escuridão total e muita, muita neve.

No vídeo de hoje comento que aconteceram três coisas que eu jamais havia imaginado :
1) Ví na 5a feira paisagens lindíssimas com neve
2) Ví ontem, 6a feira, uma nevasca muito forte (para mim, que nunca tinha visto)
3) e hoje, dirigi na neve por muito tempo. Vai gostar de neve assim lá no Pólo Norte :-)

Clareia o dia por volta de 9:00hs com o termômetro marcando -3 graus. Frio e neve era o cardápio do dia :-)

Mas tudo vai indo tranquilo… nenhum susto, andando normalmente a 50-60 Km/h, depois do dia clarear, em alguns locais colocando até 80 Km/h por breves momentos.

A vantagem disso tudo eram as paisagens, os locais cobertos de neve, lagos semi-congelados, enfim, um sem número de imagens que vou lembrar pro resto da vida (e através desse blog, muitos outros vão poder conhecer :-) ).

Em alguns locais, o vento levava o gelo/neve fina e criava um ‘neveoeiro’ :-) sobre a pista. Bonito, mas ficava perigoso.

Se você quer ver muita neve, veja o vídeo de hoje. Branco é a cor de fundo :-)

Numa aventura, sempre tem que ter alguma ‘interpérie’ não é mesmo ? Comigo não foi diferente. Próximo de Rio Grande, uma das ‘cadenas’ (a do lado esquerdo) rompeu. Tive que parar e tirar o restante dela para não danificar a Carnival.

Parei um Argentino que vinha do lado contrário e pedi para ele como estava a estrada de onde ele vinha. Disse-me que indo devagar não havia problemas. Contei para ele da ‘cadena’ que havia rompido e ele me sugeriu que deixasse a do outro lado. Fui mais devagar e com ainda mais cautela.

Chegando à uns 20 km de Rio Grande há um posto policial. Parei e pedi para ele se ainda precisava usar as ‘cadenas’. Ele olhou (no lado esquerdo) e disse “Que cadenas ?” :-) Expliquei que tinha rompido uma e estava somente com a do outro lado.

Ele me disse que poderia tirar, ir devagar, cuidar no gelo, etc. Perguntou-me onde eu ia, respondi que iria para Punta Arenas, no Chile. Nessa hora ele falou “Mas para ir a Punta Arenas os Carabineiros do Chile (polícia) vão exigir que você tenha as ‘cadenas’”. Pedi à ele o porque, ele me explicou que é comum ter neve lá na estrada quando tem neve na estrada de Ushuaia (ficam quase em uma mesma linha).

Caramba, isso realmente não estava nos meus planos. Eu até poderia ir à Rio Grande, tentar consertar a que havia se rompido ou então comprar outra. Mas sabe quando você desanima ? Então, eu fiquei desanimado com aquela notícia. Mas ainda havia uma esperança.

Ele me disse para ir até a fronteira, onde eu entraria no Chile, e perguntar para um Carabineiro se ele sabia se estavam ou não exigindo as ‘cadenas’. Ainda há esperança :-)

No caminho, eu já tinha praticamente desistido de Punta Arenas. Pelo que lí e pesquisei na internet, não há muita coisa para se fazer lá, mas mesmo assim iria pedir informação ao Carabineiro na fronteira.

Na fronteira, o Carabineiro me disse que não tinha certeza, mas achava que sim, que seriam necessário as ‘cadenas’. Nessa hora decidi que seguiria direto para El Calafate.

Na aduana conheci um casal de argentinos, de meia-idade, que moram em Ushuaia e estavam indo para El Calafate. Me pediram se eu conhecia a estrada. Disse que não. Me aconselharam a não ir, porque tinha neve num trecho da estrada, e também porque a previsão deles era chegar a El Calafate alí pelas 22:00hs. O carro deles tinha os pneus com cravos, mas eu estava sem as 2 ‘cadenas’. Viajar à noite, correndo risco de pegar neve e gelo ??? Não !!! Aventureiro sim, mas louco não :-)

Seguindo a sugestão deles, parei em Rio Gallegos para dormir. Daqui até El Calafate são 320 Km. Segundo me informaram no hotel, não deve ter neve amanhã (não muito cedo, claro), mas pode ter gelo. Estou muito cansado, pois saí as 8:00hs da manhã de Ushuaia e cheguei em Rio Gallegos as 18:00hs. Todo esse tempo para fazer apenas 580 Km.

Mas o trajeto é complicado : é neve, depois rípio, depois uma aduana Argentina, uma aduana Chilena, uma Balsa que demora 30 minutos para atravessar o Estreito de Magalhães, mais um pouco de rípio, mais uma aduana Chilena e mais uma aduana Argentina. É mole ??? :-)

Meu objetivo é sair daqui amanhã alí pelas 8:30hs e ir em direção à El Calafate. Hoje tomei uma decisão que deve encurtar minha aventura. Vou deixar o Chile para outra viagem.

Inicialmente eu iria conhecer vários locais no Chile, entre eles : Punta Arenas, Puerto Natales, Osorno, Puerto Montt, Puerto Varas, Valdivia, Pucon, Concepcion, Santiago, Vinã del Mar, Valparaíso e algum outro que esqueci.

Mas eu nunca havia ficado mais que 5 ou 6 dias fora de casa. Caramba, como a saudades é algo difícil de lidar :-) Estou com muita saudades da minha esposa e dos meus filhos, mas muita saudades mesmo – tá bom, você pode pensar que é papo sentimentalista, mas é isso que estou sentindo :-)

Então deixo o lado chileno para uma próxima aventura e sigo somente pela Argentina. Isso me faz ganhar, segundo meus rápidos cálculos, uns 8 a 10 dias de viagem. Mesmo assim ainda demoro para chegar em casa. Amanhã quero estar em El Calafate alí pelo meio-dia… espero que não tenha neve nem muito gelo no caminho !

Fotos :

Clique aqui para ver as fotos desse dia.

Video(s) :
Parte 1 :

Parte 2 :

Parte 3 :

Postado por guiadevoo